Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Daily Routine by Cristina Ferreira

.

.

Daily Routine by Cristina Ferreira

30
Out17

É um menino! Oh não... E agora??


Cristina Ferreira

janko-ferlic-223240.jpg

 

Pertenço aquele grupo de mulheres que sempre souberam que queriam ser mães. Eu sempre quis ter um bebé. Alias, eu sempre quis ter uma bebé!

Quando engravidei pela primeira vez, simplesmente não "concebi" a possibilidade de que poderia ser um menino! Afinal de contas "eu era uma menina". Eu fizera coisas de menina: eu brincara com bonecas, eu lera contos de fadas, eu comprara vestidinhos e ganchinhos! Logo, porquê sequer ponderar um menino, certo?

 

Recordo ter sido no minuto antes de entrar para a "ecografia reveladora", no momento em que o meu marido me confessou: "Preferia um menino..." que, de repente, percebi que de facto poderia ser um menino. Afinal havia mesmo 50% de probabilidades de ser um menino...

Lembro-me de sorrir para o futuro pai do meu filho e responder apenas: "O mais importante é que corra tudo bem, querido..." Aquela frase feita que se diz apenas para ser carinhosamente correta, mas com a esperança da absoluta certeza, no fundo do meu coração, de que era uma menina. Só podia ser uma menina! Aliás tinha de ser uma menina pois eu não percebia nada de meninos! Eu não gostava de carros, nem de berlindes, nem de robots e muito menos de futebol!

 

Lembro-me que entrei no consultório com o coração aos saltos... E breves instantes depois a revelação na expressão do meu ginecologista: olhando para o ecrã onde estava o meu bebé e, a sorrir um daqueles sorrisos sorridentes de orelha a orelha, perguntou-me com a mais sincera certeza da minha felicidade: "Consegue ver?..."

Olhei para o meu marido que já conseguira ver o que eu ainda não vira... Recordo a sua expressão de felicidade e o seu grito de alegria: "É um menino!!! Cristina! É um menino!!!"

E eu sorri. Sorri o mais convincente sorriso que consegui sorrir... Sorri com lágrimas nos olhos... Lágrimas que pareceram de felicidade ou mais uma vez culpa das hormonas. 

 

Mas a verdade é que por dentro, naquele momento, eu só senti medo! Um gigantesco e horripilante medo! Só me apetecia gritar bem alto: "E agora???! Eu não percebo nada de meninos!!! Não percebo nada de meninos!!! Vocês não sabem, não percebem??!! Nada! Eu não percebo nada de meninos!!! Não vou saber brincar às coisas de meninos, não vou saber falar coisas de meninos!!! Vou ser um fracasso total como mãe!!!  E agora???!!" Mas sorri e continuei a sorrir para o meu marido babado e feliz...

 

 

Os meses passaram. Correu tudo bem... e o meu bebé menino nasceu... E a verdade é que a partir do primeiro instante, a partir do primeiro toque, da primeira caricia... O elo que se criou foi... indescritivelmente... eterno...

Obviamente, não foi necessário "aprender" a ser mãe de menino! Simplesmente fui... Simplesmente sou.

Voltei, no entanto, a questionar-me quando, um ano mais tarde, engravidei pela segunda vez: "hummm e se for uma menina?... Bolas, eu agora só percebo de coisas de meninos!..." 

               Felizmente foi um segundo menino! 

 

 

2 comentários

Comentar post

Mais sobre mim...

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Calendário

Outubro 2017

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031