Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Daily Routine by Cristina Ferreira

.

.

Daily Routine by Cristina Ferreira

16
Nov17

Deixem-me apenas ser medíocre!


Cristina Ferreira

16-11.jpg

 

Sim é verdade que há pontos em que eu já tentei ser perfeita...

Em família, comecei por querer ser a filha perfeita e a menina bem comportada!

Depois quis ser a esposa perfeita, carinhosa e dedicada!

Depois veio o sonho da mãe perfeita... STOP! Calma que aqui é diferente! Quis, quero e quererei ... e ups!... apesar de todas as minhas falhas... continuarei a dar o meu melhor! Mas esta é a minha única excepção!!! 

 

No trabalho? Gosto do que faço, mas não, não quero mais do que isto!

Não! Não fui, não sou, nem serei mais ambiciosa! Não! Não quero uma carreira promissora e em ascensão! Não! Não quero trabalhar sob stress ou sob pressão!

 

Não! Não quero ser vegetariana, vegan ou macrobiótica ou outras óticas mais!

Não! Não quero mudar de estilo ou de cor de cabelo ou outros "illos" ou "ellos"!

Não! Não quero aprender a cozinhar a sério, ou a dançar ou falar chinês!

Não! Não quero levantar mais peso no ginásio ou transpirar ou engordar mais!

Não! Não quero trocar de carro! Conduzo o meu há mais de 10 anos e já estou habituada!

Não! Não quero trocar de apartamento ou ir viver no centro da cidade! Sim! Gosto aqui do meu cantinho fofinho!

 

Quero apenas ter uma vida tranquila e sossegada! Quero ter tempo para ir com calma... Quero ter tempo para conversar e para sorrir! 

 

Pronto está dito! Parem de me chatear e de me exigir a perfeição! Deixem-me falhar!

Deixem-me apenas ser medíocre!

 

15
Nov17

Recordar um momento de felicidade...


Cristina Ferreira

15-11 baby.jpg

 

Sou fã de Body Balance! De todas as aulas que eu faço no ginásio, esta é sem dúvida a minha preferida. O meu professor de yoga chama-lhe "Yoga mal feito", eu chamo-lhe "Yoga coreografado com música fixe"... e não há como uma aula de Body Balance para relaxar e libertar o corpo e a mente...

 

Mas hoje não vou falar de Body Balance...

Vou partilhar o momento de relaxamento e meditação final: " Pensem num momento feliz, num momento em se sentiram muito especiais para alguém e revivam esse momento!" sugeriu a professora no final da aula...

 

E a minha mente viajou no tempo... O meu corpo continuava ali deitado no colchão, mas eu já não estava no Estúdio 2 do Ginásio...

Era meio da tarde, chovia lá fora e eu estava a subir as escadas do Infantário de Sta. Luzia, há 14 anos atrás... Cabelo solto e escuro, amplas calças castanhas e túnica de grávida...

E ao virar a esquina, lá estava ele: o meu bebé mais querido do mundo! Com o seu cabelo loiro e brilhante... Nascera careca e ainda nunca o tinha cortado... 

T-shirt cinza e azul, calcinhas de ganga a cobrir a fralda que ainda usava e as suas pernitas grossas... Tinha começado há pouco a andar e ainda se movia meio a cambalear.

 

Mas quando me viu... Correu! Sorriu, os olhitos vivos e arregalados, e correu! Correu para mim! Veio a balançar na minha direção com os braçitos muito esticados e as mãozitas pequeninas muito abertas! Saltou-me para o colo! E eu rodopiei-o no ar!

 

Eu estava no inicio da gravidez do mano. Mas penso que nessa altura ele não sabia o que era um mano! Nesse momento ele só sabia que a mamã era a pessoa especial!

E naquele momento eu senti-me como o Leonardo di Caprio no Titanic: I was the queen of the world! My baby was my world!  

14
Nov17

O casamento não é para sempre, mas a mamã e o papá sim...


Cristina Ferreira

father.jpg

 

 

  "Era uma vez um papá que conheceu uma mamã. Apaixonaram-se, casaram-se, tiveram dois lindos filhinhos e não viveram felizes para sempre!"

            Quantas vezes já ouviu este conto de fadas "desfadado"?

 

O papá e a mamã dos nossos filhos estão separados há 8 anos. Os nossos filhos tinham na altura apenas 7 e 5 anos.

Quando o papá e a mamã dos nossos filhos se separaram mergulharam naquele ciclo vergonhoso e egoísta inicial de discussões constantes, acusações sem sentido, culpabilizações absurdas... Normalmente à frente dos filhos... Muitas vezes desabafadas com os filhos... Sempre que possível: usando os filhos...

  

O papá e a mamã dos nossos filhos na altura não sabiam, mas agiam assim porque tinham medo: tinham medo de perder os seus filhos... Tinham medo perder o seu amor, tinham medo de perder o seu carinho... O papá e mamã dos nossos filhos sofriam antecipadamente pelos momentos que já não iam ter, pelos abraços de bom dia diários que já não iam receber, pelos beijinhos de boa noite diários que já não iam dar, pelos jantares onde já não iam estar, pelas rotinas que já não iam acompanhar, pelas férias que já não iam partilhar... 

 

 

Hoje gosto de pensar que, apesar da confusão inicial, somos uma família com sorte!

Já não sei porque nos separámos... Mas sei que foram os nossos filhos nos ensinaram a amar: a amá-los a eles e a incondicionalmente os colocar a eles em primeiro lugar. Os nossos filhos ensinaram-nos a sofrer em silêncio, a perdoar, a crescer e a aceitar. 

 

papá e mamã dos nossos filhos não viveram juntos felizes para sempre, mas para sempre haverá o papá e a mamã. Para sempre seremos uma familia. Os nossos filhos vivem com a mamã e passam as férias com o papá. O papá, apesar de residir noutra cidade, vem frequentemente visitá-los. O papá, apesar de residir noutra cidade, está felizmente mais próximo do que muitos papás que residem ao lado: o papá fala com eles no FACETIME todos os dias. Todos os dias!

 

Todos os dias o papá e a mamã dos nossos filhos estão com os nossos filhos. 

 

E quando em junho do ano passado a primeira coisa que psicologa da escola, antes de falarmos sobre os resultados dos testes psicotécnicos para as escolhas do 10º ano me disse: "O seu filho nem parece filho de pais de divorciados!" orgulhei-me da mamã e do papá dos nossos filhos pois afinal os contos de fadas existem mas com "para sempre" diferentes...

 

 

10
Nov17

É triste a nova campanha crianças da H&M...


Cristina Ferreira

HM.jpg

Foto H&M

 

Não! Não gostei da nova campanha crianças da H&M! Passei frente à montra onde estava em destaque o enorme cartaz e o olhar da menina ruiva de vestido escuro em tecido aveludado assustou-me... Um olhar triste e vidrado, vazio e parado...

 

Terá sido o fundo sombrio? Terão sido as posturas estáticas? Apesar do sorriso da menina do braço forçadamente levantado e do do menino do laço, não pude deixar de pensar: "Que grupo de crianças estranhas, sem vida e tão bem comportadas..."

 

Crianças lindas é verdade, mas assemelhadas a pequenos adultos miniatura... Adultos elegantes e bem vestidos, adultos com olhares vazios e sombrios...

 

Reflexo da nossa sociedade?...

 

trio.jpg

Fotos H&M

 

"ÉPOCA FESTIVA. É TEMPO DE BRILHAR"

"... vestidos arrojados, fatos irrepreensíveis e acessórios cintilantes".

 

Estaremos a falar de crianças? As crianças devem ser felizes, divertidas, alegres? Ou brilhar de forma irrepreensível e cintilante? 

 

Se esta fôr a postura a impôr, tristes festas passarão as crianças dentro dos seus fatos irrepreensíveis:  "Não sujes o teu fato irreprensível! Porta-te bem: fica aí quieta, sentada... e em silêncio simplesmente sorri! "

 

ÉPOCA FESTIVA. É TEMPO DE PARAR PARA PENSAR PARA ONDE ESTAREMOS A CAMINHAR...

 

 

 

09
Nov17

"Sobre a necessidade de um emprego"...


Cristina Ferreira

 

 

Frequento um grupo de meditação. Medita-se em silêncio para acalmar a mente e depois conversa-se... Semanalmente é selecionado um tema. Esta semana: "Porque não mudamos?" de Krishnamurti. 

 

Eu não conhecia Krishnamurti. Achei interessante o que sobre ele ouvi, fiquei curiosa e vim para casa pesquisar mais...

Muito se pode obviamente dizer sobre ele, mas hoje vou apenas focar neste vídeo cujo tema me chamou a atenção, quer pela sua atualidade, quer pela minha identificação pessoal com o mesmo:

    "Sobre a necessidade um emprego", Krishnamurti, palestra de 1979.

"... ir a um escritório todos os dias das 9h às 17h, é um aprisionamento intolerável..."

 

38 anos depois, em Portugal, no privado, não se trabalha das 9h às 17h00. Trabalha-se num horário ainda mais aprisionador: das 9h, ou das 8h30, ou das 8h00... às 18h, às 18h30, às 19h...

Por vezes mais, pois somos cada vez mais sujeitos a horas extraordinárias "forçadas"... E digo forçadas porque quando à pergunta: "Tem disponibilidade para horas extras?" se ousa responder que não... Em processo de seleção é-se automaticamente eliminado, em ambiente de trabalho pode-se optar por fim de contrato ou rescisão! 

 

Trabalhar é indispensável para ter dinheiro e somos obrigados a aceitar este modo de vida: aceitamos a correria constante, o stress, a ansiedade, a depressão, a falta de tempo para a vida pessoal... Aceitamos ver os nossos filhos crescer em infantários e centros de estudos... Aceitamos levar as nossas crianças para casa às 19h, às 20h... Aceitamos ver os nossos adolescentes crescer sozinhos...

 

    "... Poderemos criar uma sociedade diferente?..."

 

Uma redução generalizada da carga horária de 40 para 35 horas semanais para todos, e não apenas para a função pública, é o minimo que todos devemos exigir. Essa diferença entre o sector público e o sector privado não deveria sequer existir!

 

Mãe de dois filhos, sou igualmente defensora que as mães deveriam ter a oportunidade de poder optar trabalhar em part-time. 20 ou 30 horas semanais.

Não é essa a tendência nos ditos países "mais evoluídos"?

 

Krishnamurti faleceu em 1986. Que diria ele se viesse agora visitar Portugal...

Portugueses! Vivem num aprisionamento intolerável!

Portugueses! De que estão à espera?! PORQUE NÃO MUDAM??!!

 

 

 

 

 

08
Nov17

A "magia dos básicos"!


Cristina Ferreira

08-11-2017-II.jpg

Conhecem aquela sensação, quando muda a estação, de abrir o roupeiro à procura de uma roupa já não de verão... e verificar que a roupa, à la dernière mode, tão minuciosamente selecionada e adquirida no ano passado, está completement demodée?! Conhecem aquele pânico e aquela necessidade incontrolável de correr para "reabastecer" direcção ao shopping mais próximo?!

 

Pois foi exatamente o que não me aconteceu hoje de manhã! Chamo-lhe "a magia dos básicos"! 

 

Quando se opta pela compra constante de tons básicos, eles simplesmente não passam de moda... E se ao tom básico se juntar um modelo clássico... Voilá: le tour est joué! Simple, n'est-ce pas?

 

Não quero parecer um Zuckerberg ou um Steve Jobs versão feminina... Mas eles lá têm a sua razão! 

 

Se a uniformização de cores me mete confusão?? Não, claro que não! Confusão criaria o tempo se perdido de manhã em elaboradas rotinas de escolha e combinação! Sim que uma mãe tem outras tarefas a que dar vazão logo pela manhã... 

 

 Já agora, para o inverno, le noir c'est ma couleur de eleição! 

05
Nov17

Folhados de queijo e fiambre "assimétricos"!


Cristina Ferreira

Folhados.jpg

 

Hoje o meu "Petit Chef" preparou as entradas...

          Folhados de queijo e fiambre "ASSIMÉTRICOS"!

 

Primeiro, cortar a massa folhada em 6 partes ASSIMÉTRICAS! 

(Sim muito importante "o ASSIMÉTRICO" que cozinhar é para ser divertido e não perfeito!)

 

Segundo, colocar delicadamente uma fatia de fiambre sobre cada recorte...

Polvilhar abundantemente com MUITO queijo ralado!

 

Fechar cada pacotinho com muito amor e carinho e sem deixar buraquinhos pois não vá o maroto do queijo querer escapar por lá!

Pincelar com ovo...

 

       Forno meia horita... Et voilá! Bon apetit!

 

 

03
Nov17

Está encerrada a "época do chinelo"!


Cristina Ferreira

 

Chinelos.jpg

 

 

Chegou o outono e com ele a chuva... Está oficialmente encerrada a "época do chinelo"!

 

Não, não me considero minimalista, apesar do pouco espaço, confesso, que a totalidade da minha roupa ocupa no meu reduzido roupeiro... Um espaço, diz quem me conhece, deveras reduzido para uma mulher! 

Pobre espaço que até já foi insultado de espaço sem-vergonha, monstruosa e absurdamente diminuto, pertença de uma mulher que ousa considerar-se feminina!

 

Confesso! 2 pares de calças de ganga, meia dúzia de t-shirts de alças básicas para o verão, meia dúzia de camisolas também básicas para a meia estação e 2 camisolas de lã! 

1 túnica formal para as ocasiões, uns calções para o verão e o casaco necessário para cada estação... 

Sim, vendo bem, talvez tenham razão! Talvez eu seja deveras um pouco minimalista....

 

Calma! Não é que eu não valorize a beleza exterior... Raramente dispenso o rimel e o cabelo solto bem esticado!

Simplesmente não venero sapatos ou carteiras, não idolatro vestidos decorados nem santifico tailleurs formais! Todo o excesso é para mim mera futilidade numa sociedade consumista e incentivadora do esbanjamento...

 

O meu acessório preferido?

(Será que me é permitido chamar-lhe acessório!?...)

 

O chinelo! Havaina "verdadeira" ou chinelo de praia da Decathlon (Na foto.)

O chinelo: o meu "REI DOS ACESSÓRIOS"! Se a formalidade não me forçasse a esporadicamente substituí-lo, era com ele que eu me pavonearia da primavera ao verão!

 

Pois a vida é mais simples e é mais bela quando vista do alto de um par de chinelos! 

 

foto do autor

ENTRE O COMEÇO E O FIM... Uma nova rotina... Um NOVO BLOG

Calendário

Novembro 2017

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930